Pensando só nos últimos dois dias, quantas vezes você já foi buscar alguma informação no Google (ou Bing ou Yahoo)? Pelo menos uma, certo? E isto não aconteceu só com você…por dia são feitas mais de 3 bilhões de pesquisas somente no Google (sendo 15% destas, inéditas). Se cada vez mais as pessoas vão buscar respostas para as suas mais variadas questões nas ferramentas de busca e SEO é a metodologia que faz com que um site esteja em evidência nestas ferramentas, a pergunta do título deste artigo já foi respondida.

Vamos imaginar uma empresa que comercialize softwares de gestão. Por mês, mais de 3.000 pessoas pesquisam por este termo no Google só na cidade de São Paulo. Mesmo que esta empresa tenha uma área comercial ativa, dificilmente conseguirá abordar 3.000 pessoas com algum interesse pelo seu produto em um mês.

Mas por que então existem empresas que optam por não investir em SEO?

Uma das razões pode ser a falta de conhecimento. SEO é um assunto complexo e a falta de conhecimento pode levar a interpretações erradas e experiências frustradas. Para ajudar você a ter uma idéia melhor de alguns dos conceitos de SEO que mais geram confusão, preparamos um mini-glossário:

SERPs: sigla para páginas de resultados do mecanismo de pesquisa. A página um seria a primeira página dos resultados da pesquisa (que é onde você quer estar). Quanto mais difícil for ser visto na primeira página, menor será a probabilidade de o seu site ser encontrado. Mas se seu site ainda não está na primeira página, não se preocupe…isso vem com o tempo, práticas sólidas de SEO e muito trabalho.

Ranking: é essencialmente o quão bem o seu site está posicionado online. Uma boa classificação significa que seu site é encontrado na primeira página das SERPs. De acordo com o Advanced Web Ranking, a taxa de cliques da posição 1 na página 1 dos resultados de pesquisa do Google é de 21%; para a posição 5 este número já cai para 3%. Diversos fatores determinam sua classificação, incluindo conteúdo, segmento, concorrência etc.

Algoritmos: são como o seu site chega a essa primeira página importante. De vez em quando, o Google atualiza seus algoritmos para garantir uma melhor experiência para os usuários. O Google está sempre tentando retornar o resultado de pesquisa mais relevante para a pesquisa de um usuário, com base em seu idioma, local e histórico de pesquisa. Os fatores que normalmente são considerados incluem a qualidade e a relevância do conteúdo.

Penalidades: se você estiver tentando adotar atalhos comprando links duvidosos, ou se seu site tem conteúdo de baixa qualidade e outros elementos que o Google acredita terem um impacto negativo na experiência do usuário, você pode ser penalizado. De um modo geral, estas penalidades assumem a forma de perda de posicionamento. Um site que estava acostumado a estar no topo das SERPs pode subitamente encontrar-se na página três se tiver sido penalizado pelo Google.

Palavras-chave: termos de pesquisa. Muitas pessoas assumem que as palavras-chave consistem em uma única palavra. Na realidade, os termos de pesquisa precisam ser tão específicos quanto possível ou “cauda longa”. Um exemplo de uma má palavra-chave seria algo como “roupa”. Como esse termo aparece em muitos contextos, não ajudaria ninguém a encontrar on-line sua loja de roupas para crianças se elas pesquisassem esse termo. Um termo melhor seria “loja de roupas infantis em Pinheiros”.

Densidade de palavras-chave: refere-se a quantas vezes sua palavra-chave aparece em seu conteúdo. Isso é complicado porque você quer que sua palavra-chave tenha uma boa densidade na página (em torno de 3%), mas você não quer que o conteúdo soe excessivamente repetitivo para o usuário. É preciso ter boas habilidades de redação para escrever conteúdo que seja ao mesmo tempo denso em palavras-chave e de agradável leitura.

Volume de pesquisa: número de pesquisas feitas por uma palavra-chave ao longo de um mês. Embora um volume maior possa ser uma boa maneira de encontrar frases pesquisadas com frequência, os números mais baixos estão relacionados a pesquisas mais específicas e geralmente terão uma taxa de conversão melhor, pois o site é mais relevante para a consulta.

Taxa de cliques (CTR): quantas vezes o seu site recebe um clique quando aparece nos resultados das pesquisas. Digamos que você apareça na primeira página por 100 vezes e, dessas 100 impressões, seu site seja clicado em 10 vezes. Isso significa que seu CTR é de 10%. O Google quer que seu site seja relevante, por isso as CTRs mais altas ajudam a melhorar o posicionamento orgânico.

Concorrência: quantos outros sites estão usando o mesmo termo e otimizando ativamente para ele. Quanto maior a concorrência, maior a dificuldade de posicionamento. Por exemplo, se houver 2 milhões de páginas retornadas para um resultado de pesquisa específico, para chegar à primeira posição, o Google precisa decidir que seu site é mais relevante do que os demais 1.999.999!

Backlinks: o Google confirmou que 30% de sua pontuação no ranking vem do seu perfil de backlinks, ou seja, os links que direcionam para o seu site a partir de outros sites. Como conseguir estes links? Com muita pesquisa, conhecimento do mercado e conteúdos interessantes.

Na WSI, somos apaixonados por tornar mais fácil para empresas como a sua serem encontradas on-line. Nosso objetivo é tornar o processo o mais simples possível, para que você não perca o sono (nem tempo), preocupado em conseguir tráfego relevante para seu site. Se você tiver alguma dúvida sobre algum desses conceitos ou qualquer outra relacionada a SEO, entre em contato conosc