Entra ano e sai ano e SEO continua firme e forte. Afinal, quem não quer que seu site seja facilmente encontrado quando um potencial cliente fizer uma pesquisa no Google?

A briga por bons resultados na busca orgânica continua acirrada e é preciso ter um especialista em SEO para se dar bem. Mas mesmo quem não é especialista pode entender alguns conceitos básicos que desmistificam esta importante estratégia.

Para ajudar você a ter uma idéia melhor de alguns dos conceitos de SEO mais confusos, reunimos um mini-glossário. Continue lendo para descobrir mais sobre classificação, algoritmos, SERPs e outros conceitos.

SERPs: abreviação de Search Engine Results Pages. Isso significa onde seu site aparece em mecanismos de pesquisa como o Google. A página um seria a primeira página dos resultados da pesquisa (que é onde você deseja estar), enquanto a página dois e três significam que os usuários precisam clicar para visualizar sua classificação. Quanto mais difícil for ser visto na primeira página, menor a probabilidade de seu site ser encontrado. Vale ressaltar que sempre há exceções a essa regra. Se seu site ainda não está na primeira página, não se preocupe … isso vem com o tempo, práticas sólidas de SEO e muito trabalho.

Ranking: essencialmente o desempenho do seu site online. Uma boa classificação significa que seu site é encontrado na primeira página dos SERPs. Embora muitas pensem pensem que precisam estar no topo, alguns lugares abaixo ainda são bem interessantes…mas não vale ficar muito longe. De acordo com o Advanced Web Ranking, a taxa de cliques para a posição 5 na página 1 dos resultados de pesquisa do Google é de apenas 3% e diminui para todas as posições depois disso.

Algoritmos: são como o seu site chega a essa primeira página importante. De vez em quando, o Google atualiza seus algoritmos para garantir uma experiência de melhor qualidade para seus usuários. O Google está sempre tentando retornar o resultado mais relevante para a pesquisa de um usuário, com base no idioma, local e histórico de pesquisa. Os fatores normalmente considerados incluem a qualidade e a relevância do conteúdo.

Penalidades: se você estiver tentando adotar atalhos comprando links duvidosos ou se seu site está carregado com conteúdo de baixa qualidade e outros elementos que o Google acha que têm um impacto negativo na experiência do usuário, você pode sofrer penalidades. De um modo geral, as penalidades assumem a forma de classificações perdidas. Um site que esteja no topo dos SERPs poderá repentinamente se encontrar na página três, se tiver sido penalizado pelo Google.

Palavras-chave: seriarias preciso chamar de “termo de pesquisa”. Muitas pessoas assumem que as palavras-chave consistem em uma única palavra. Na realidade, os termos de pesquisa precisam ser o mais específico possível ou “cauda longa”. Um exemplo de uma palavra-chave incorreta seria algo como ‘loja’. Como esse termo aparece em muitos contextos, não ajudaria ninguém a encontrar uma loja especializada em roupas infantis se pesquisasse esse termo. Um termo melhor seria ”loja de roupas infantis em Campinas”.

Densidade da palavra-chave: refere-se a quantas vezes sua palavra-chave aparece em seu conteúdo. Isso é complicado porque você deseja que sua palavra-chave tenha uma boa densidade na página, mas não deseja que o conteúdo seja excessivamente repetitivo para o usuário. É preciso ter boas habilidades de redação para escrever conteúdo denso e com boa leitura de palavras-chave.

Volume de pesquisa: refere-se ao número de pesquisas feitas por uma palavra-chave ao longo de um mês. Embora um volume mais alto possa ser uma boa maneira de encontrar frases pesquisadas com frequência, números mais baixos para pesquisas específicas geralmente terão uma melhor taxa de conversão, pois seu site é mais relevante para aquela consulta.

Taxa de cliques (CTR): digamos que seu site apareça na primeira página para uma determinada pesquisa 100 vezes e, dessas 100 impressões, seu site recebe 10 cliques. Isso significa que seu CTR é de 10%. O Google deseja que seu site seja relevante, portanto, bons CTRs significam que este é relevante para pesquisas e terá um desempenho melhor nas classificações orgânicas.

Concorrência: refere-se a quantos outros sites estão usando o mesmo termo e otimizando ativamente para ele. Um bom trabalho de SEO consegue identificar oportunidades de termos de pesquisa interessantes com níveis de concorrência baixo ou médio e combiná-las com termos importantes, porém muito concorridos.

Backlinks: sabemos que uma parcela significativa da pontuação de um site vem do seu perfil de backlinks, ou seja, dos links que direcionam para seu site a partir de outros sites.

Snippets em destaque: um snippet em destaque é um resumo de uma resposta à consulta de um usuário, exibida no topo dos resultados de pesquisa do Google. É extraído de uma página da web e inclui o título e o URL da página.

SERP com zero clique: uma SERP com zero clique é aquela em que a resposta é exibida diretamente na parte superior de um resultado de pesquisa do Google. A intenção de pesquisa do usuário é satisfeita sem a necessidade de clicar em nenhum link real de resultado da pesquisa.

Pesquisa por voz: permite ao usuário usar um comando de voz para pesquisar na Internet, em um site ou em um aplicativo.

Na WSI, nossa motivação é tornar mais fácil para empresas como a sua serem encontradas on-line. Gostamos de tornar o processo o mais simples possível, para que você não perca o sono (nem tempo) insistindo em obter tráfego relevante no site. Se você tiver alguma dúvida sobre algum desses conceitos de SEO, entre em contato com um especialista local do WSI clicando aqui.