Criar uma página no Facebook, Twitter, ou Instagram para uma empresa não se trata apenas de cumprir um dever “social”. Já que todos meus concorrentes estão nas redes sociais eu tenho que estar também? Não é bem assim. Trata-se de abrir um canal de comunicação entre a marca e seu público. Os esforços da empresa devem ser concentrados na rede em que o seu público está mais ativo.

Quem trabalha diariamente com redes sociais sabe a importância do engajamento e dá o real valor para cada tipo de interação e para o tempo que o seu fã gasta com a sua marca. Não se trata apenas de curtir a página, um post ou favoritar um tweet, mas sim de construir um relacionamento com o fã, dentro de um ambiente da marca, onde ele se sinta livre para expressar sua opinião e interagir com a empresa e com os demais usuários.

Parece utopia? Não se engane. O relacionamento entre marcas e consumidores nas redes sociais pode se tornar realidade com os esforços certos, timming e, principalmente, posicionamento de marca. Ou seja, se você quer se destacar nas redes sociais e ter a atenção do seu público-alvo, não dá para ser um coadjuvante no mercado, não é mesmo?

Recentemente, a We Are Social Media.gr publicou um infográfico sobre os 7 níveis de engajamento nas mídias sociais. Vamos entendê-lo:

Os-7-níveis-de-engajamento-nas-redes-sociais-1

Quais são os 7 níveis de engajamento nas mídias sociais?

  1.   Atenção: Quando um usuário está seguindo suas atualizações, mas não interage. A maioria absoluta das pessoas nas redes se encaixam neste nível, tendo relativo interesse no conteúdo, mas sem opiniões fortes e decisivas sobre o assunto.
  2.  Apreciação: O usuário decide demonstrar sua apreciação pelo conteúdo postado, com uma curtida, ou outro sinal positivo. Nesta etapa temos a concordância do nosso fã, ao mesmo tempo que não o estimulamos o suficiente para desprender alguns minutos e neurônios a mais para elaborar sua opinião nos comentários. Também temos que levar em consideração que as pessoas se sentem intimidadas a comentarem pelo medo de serem repreendidas por outros usuários, ou ainda por não acreditarem ter argumentos suficientes para defender aquilo que concordam.
  3. Compartilhamento: O usuário gostou de seu conteúdo, e ainda acredita que sua rede de contatos irá gostar também. Pode ser acrescentado a opinião do fã no post compartilhado, o que nos dá uma ideia do que está sendo discutido fora da nossa página. É a forma perfeita de viralizar o conteúdo, ao mesmo tempo que é interessante manter a conversa dentro da sua página, de forma que a marca possa se manifestar.
  4.  Opinião: Ao se engajar mais e mais com a sua marca, o usuário começa a expressar suas opiniões nas suas atualizações e deixar comentários. Não se impressione se houver mais dúvidas que concordâncias, e responda a todos, estimulando a continuidade da conversa.
  5.  Contribuição: Neste nível, o fã começa a produzir seu próprio conteúdo e quer compartilhar com a sua marca, colaborando com a sua marca. Podem ser pessoas com bom conhecimento sobre a causa ou assunto, ou interessadas na melhoria dos serviços/produtos da sua marca. De qualquer forma, é uma interação que indica uma paixão sobre o assunto e um usuário a ser cultivado e apreciado.
  6. Animação: O usuário é totalmente engajado na causa da marca, e começa a promover conversas entre outros usuários.
  7. Advocacia: Neste último estágio, o fã se demonstra devotado e em total harmonia com a marca, representando-a e defendendo-a. Para conquistar este fã verdadeiro foi preciso ter criado laços de experiências positivas e um relacionamento de confiança. É um investimento muito mais profundo do que é possível no mundo digital. É preciso ter cativado ele no mundo real, demonstrando compromisso com as comunidades com que a empresa se relaciona, e com a responsabilidade social e ambiental.

 

Agora reflita: Sua marca estimula seus fãs a interagir e engajar nas redes sociais? Em que nível(is) de engajamento está o seu público-alvo?